"A grandiosa Revolução Humana de uma única pessoa irá um dia impulsionar a mudança total do destino de um país e além disso, será capaz de transformar o destino de toda a humanidade."

ѵıѵα! ! ! ! α sgı 80 αησs ѵıѵα ! ! ! α вsgı 50 αησs ∂є яєαłızαçõєs,αѵαηçσ є sυcєssσ
ѵıѵα!!! sєηsєy

sgi

Loading...

Postagens populares

sexta-feira, 15 de abril de 2011



MATÉRIA DA REUNIÃO DE PALESTRA DE ABRIL

Princípio básico — Sansho Shima

A base da filosofia da Soka Gakkai é capacitar cada pessoa para que enfrente a sua realidade, transforme-a e atinja a máxima condição de vida: o estado de Buda

Pra que ter medo de enfrentar a vida?

Um jovem pergunta ao presidente Ikeda: “Por que o senhor tem tanta coragem para desafiar e superar qualquer dificuldade? Para falar a verdade, não creio que eu consiga fazer o que o senhor faz. Como posso me tornar forte assim como o senhor?”
Resposta do presidente Ikeda: “Diz um ditado que não há educação melhor que a adversidade. Quanto mais perseguições e ataques a pessoa sofrer e a eles sobreviver, mais forte e mais grandiosa ela se tornará como ser humano. Cada dia é um dia de maior crescimento e desenvolvimento pessoal, e creio firmemente que esses esforços levam diretamente ao crescimento e ao desenvolvimento de tudo o mais. Não tenho medo de críticas nem de insultos. Não tenho medo de pessoas traiçoeiras. Quando vocês tentarem se tornar pessoas que enfrentam qualquer situação sem temor, criarão um espírito indomável.
Na vida, e em vários desafios que empreendemos, há ocasiões em que avançamos e outras em que recuamos. Haverá também ocasiões em que será melhor simplesmente descansar. A vida é cheia de mudanças. E, nesse processo de alcançar os objetivos, é perfeitamente natural passar por mudanças. 
Em meio a essa incessante mudança, há um conselho que jamais mudará: ‘Independentemente da época ou do que as pessoas digam, não se desviem de suas crenças fundamentais. É importante ter convicções tão firmes e imutáveis quanto o Monte Fuji. Quero que cada um de vocês desenvolva uma personalidade tão inabalável quanto uma majestosa montanha, uma personalidade corajosa, perseverante e capaz.”

Princípio básico (texto completo)


Ao decidir romper a tendência cármica e transformar a vida, é natural ocorrer uma força contrária. O conceito budista de “três obstáculos e quatro maldades” (sansho shima) elucida e classifica esses diversos tipos de obstáculos e impedimentos.
Os três obstáculos são: 1) obstáculos dos desejos do dia a dia, ou obstáculos causados pelos três venenos da avareza, ira e estupidez); 2) obstáculo do carma, ou obstáculo gerado pelo mau carma criado por cometer qualquer um dos cinco pecados fundamentais ou dez maus atos. Esse obstáculo também é interpretado como oposição da esposa e dos filhos; e 3) obstáculo da retribuição, ou obstáculo das causas negativas criadas por ações dos três maus caminhos (Inferno, Fome e Animalidade). Pode ser interpretado também como os obstáculos impostos pelos soberano, pais ou outros em posição de autoridade.
As quatro maldades são: 1) impedimento dos cinco componentes, ou obstruções causadas pelas funções físicas e mentais da pessoa; 2) impedimento dos desejos seculares, do cotidiano, ou obstruções originadas dos três venenos, criando dúvida no Gohonzon; 3) impedimento da morte, ou obstrução à prática causada pelo medo que a morte vincula; e 4) impedimento do Demônio do Sexto Céu, tradicionalmente a perseguição por parte de homens do poder.
Dentre as quatro maldades, o impedimento causado pelo Demônio do Sexto Céu (tenshi-ma) é o mais difícil de superar. Sobre isso, o presidente Ikeda orienta: “O budismo é uma eterna batalha entre o Buda e as funções malignas — entre as forças iluminadas e destrutivas inerentes na vida e no universo. É uma luta contra as funções malignas e aquelas que estão presas sob sua servidão, contra as forças que buscam obstruir a propagação budista, a felicidade das pessoas e o progresso do Kossen-rufu. O furioso ataque das funções malignas é extremamente forte porque o Demônio do Sexto Céu, o obstinado comandante dessas forças destrutivas, domina o mundo das questões humanas.” (Brasil Seikyo, edição no 1.582, 2 de dezembro de 2000, pág. 3.)
O ponto importante é reconhecer que os obstáculos e as maldades são funções tentando nos influenciar e nos amedrontar de forma a obstruir o desenvolvimento de nossa prática da fé. O surgimento dos obstáculos é, na verdade, a maior prova do progresso da nossa fé. Portanto, quando identificamos essas funções, devemos manifestar a força e a coragem para desafiá-las, e jamais permitir que nos derrotem. Quando enfrentamos com toda a perseverança e ultrapassamos esses obstáculos, podemos elevar a nossa condição de vida. Esse é o verdadeiro caminho dos seres humanos para a felicidade.
Naturalmente, como seres humanos, mesmo sendo fervorosos praticantes do budismo, há ocasiões em que ficamos doentes ou nos acidentamos; outras vezes, podemos enfrentar incêndios ou calamidades, como enchentes ou secas; ou ainda, em nosso dia-a-dia, podemos ter aborrecimentos no trabalho ou até mesmo na comunidade. Todas essas dificuldades podem ser classificadas como os ‘três obstáculos e quatro maldades’ tentando impedir nossa atuação em prol da paz mundial. Por outro lado, essas mesmas dificuldades podem ser interpretadas como elementos que contribuem para a transformação do nosso carma, assim como a flor de lótus nasce em meio a águas lamacentas.
Em um outro trecho da escritura “Carta aos Irmãos”, Nitiren Daishonin afirma: “Se a propagar, maldades surgirão infalivelmente. Se não fossem estas, não haveria modo de se saber que este é o ensino correto.” (As Escrituras de Nitiren Daishonin, vol. 1, pág. 239.). Compreendendo essa frase, devemos nos empenhar ainda mais na prática da fé cientes de que o surgimento de obstáculos e maldades é a prova de que praticamos corretamente o budismo, capaz de nos conduzir à felicidade absoluta. Se uma pessoa pratica um ensino fraco, não encontrará impedimentos. Porém, quando se devota a um forte ensino, capaz de transformar seu mau carma, dissipar a escuridão inata na sua vida e evidenciar a suprema condição do estado de Buda, sua prática encontrará obstáculos.
Muitas vezes, acreditamos que receber benefícios visíveis é a única comprovação de que praticamos corretamente. Porém, com base no ensino de Nitiren Daishonin, o surgimento de obstáculos pode também ser uma imensa prova de nosso progresso na fé. O essencial é jamais sermos influenciados ou amedrontados por eles. Os sofrimentos podem ser um bom professor e um bom meio para nos levar a uma fé mais pura e a um estado de vida mais elevado. A verdadeira compreensão disso fortalecerá nossa convicção de que não haverá situação adversa que seja intransponível.

LEVANTEM-SE

“Apeguem-se no que acreditam ser correto e verdadeiro. Se caírem, levantem-se novamente e prossigam. Desafiando-se continuamente dessa forma, descobrirão que estão trilhando a estrada do mais elevado bem.” 
Dr. Daisaku Ikeda
Publicado em: Brasil Seikyo - Ed.2077 - Caderno BVD - Pg.B7 - 26/03/2011