"A grandiosa Revolução Humana de uma única pessoa irá um dia impulsionar a mudança total do destino de um país e além disso, será capaz de transformar o destino de toda a humanidade."

ѵıѵα! ! ! ! α sgı 80 αησs ѵıѵα ! ! ! α вsgı 50 αησs ∂є яєαłızαçõєs,αѵαηçσ є sυcєssσ
ѵıѵα!!! sєηsєy

sgi

Loading...

Postagens populares

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Brasil Seikyo


Os Encantos da Filosofia Budista - Para Iniciantes


O máximo da sabedoria humana

Edição 2112 - Publicado em 17/Dezembro/2011 - Página A6

PARTE 70

PREZAR CADA PESSOA — essa atitude é genuinamente humana. Quem se comporta com essa disposição é um buda, pois detém o máximo da sabedoria.

VISITA. Vice-diretor-geral da Soka Gakkai, Sr. Hasegawa, vai ao encontro dos companheiros, vítimas do tsunami, que moram em casas provisórias, cedidas pelo governo japonês, no dia 9 de agosto, na província de Miyagui
TODAS AS PESSOAS
O Buda Nitiren Daishonin escreveu para a mãe do jovem Nanjo Tokimitsu: “Todas as pessoas que abraçarem este ensino, sem exceção, se tornarão budas. Se forem cem, todas as cem, e se forem mil, todas as mil” (TC, edição nº 518, outubro de 2011, p.4).
AMAR A HUMANIDADE É NÃO AMAR NINGUÉM
“O grande escritor russo Fiódor Dostoiévski ressalta esta aparente contradição: ‘Quanto maior meu amor pela humanidade em geral, menos eu amo as pessoas em particular, ou seja, separadamente, como indivíduos’. Em outro lugar, ele diz: ‘No amor abstrato pela humanidade, uma pessoa não ama ninguém a não ser ela mesma” (Ibidem).
CADA PESSOA É A HUMANIDADE
O presidente Ikeda escreveu recentemente: ”A vida de cada ser humano é incomparavelmente preciosa e nobre. O objetivo da prática do Budismo Nitiren é capacitar cada pessoa a manifestar o supremo brilho da felicidade. Isso ocorre quando você se dedica com o máximo de suas forças à pessoa que está à sua frente, com a consciência de que ela é a própria humanidade” (Ibidem).
O CAMINHO PARA A ILUMINAÇÃO
O Budismo nasceu a partir da questão: “Não importando as circunstâncias, o temperamento ou a capacidade, como eu posso fazer cada pessoa manifestar o estado de Buda?” Sem fugir da realidade, o Budismo esclarece o caminho para todas as pessoas manifestarem o estado de Buda.
CHAKUBUKU
Uma pessoa que compartilha do mesmo desejo do Buda — de dedicar-se para que outra seja feliz — é um buda. A ação dessa pessoa, inspirada por esse desejo, é a prática do Chakubuku. Em outras palavras, o comportamento de um buda é praticar o Chakubuku.
COMPORTAMENTO É SABEDORIA
“Por mais que as pessoas insistam em dizer que atingiram a iluminação, se não agem com benevolência, elas estão mentindo. A sabedoria é invisível. Por essa razão, o comportamento de uma pessoa é o indicador ou o barômetro que mede sua sabedoria. Afinal, o propósito do aparecimento do Buda neste mundo é alcançado por meio de seu comportamento como ser humano” (TC, edição no 519, novembro de 2011, p.49).
CADA PESSOA É ÚNICA
“O Budismo começa do reconhecimento da diversidade humana. A vida de todos os seres humanos é una com o universo. Todos os trabalhos do universo contribuem para a formação da individualidade de cada um. Colocando de outra forma, cada pessoa é um microcosmo que reflete o macrocosmo de uma maneira única; fundamentalmente, o indivíduo engloba tudo. Portanto, cada pessoa é preciosa e insubstituível” (BS, edição no 1.390, 9 de novembro de 1996, p.4).
O SEGREDO DA VIDA
A derradeira sabedoria para compreender esse segredo da vida é a sabedoria do Buda de compreender tanto os aspectos universais quanto os individuais de todos os fenômenos. O Buda percebe que cada pessoa, cada entidade viva, é igualmente preciosa.
VALORIZE CADA PESSOA
A sabedoria do Buda é valorizar o indivíduo, reconhecendo seu valor único. Isso é semelhante ao amor de uma mãe que trata todos os filhos igualmente, reconhecendo suas características individuais.
NA PRÁTICA
Isso significa que de nada adianta “amar a humanidade” se o indivíduo é incapaz de reconhecer a importância de uma única pessoa. “Amar a humanidade” não corresponde à sabedoria do Buda.
HUMANISMO
Sobre isso, o presidente Ikeda comenta: “O humanismo do Sutra de Lótus transmite o princípio da valorização do indivíduo. Este é o espírito do Buda. O objetivo fundamental da iluminação universal do Sutra de Lótus inicia com a valorização do indivíduo e somente pode ser percebido por meio de uma firme adesão a esse ponto. ‘Amar as pessoas’ ou ‘amar a humanidade’ de forma abstrata é fácil. Por outro lado, sentir sincera compaixão pelos indivíduos é difícil” (Ibidem).
COMPORTAMENTO INSPIRADOR
A melhor forma de dedicação a cada pessoa é quando nosso comportamento inspira positivamente aqueles ao redor a conquistar a própria felicidade.
NÃO SÃO “BOAS AÇÕES”
Essa dedicação não está baseada simplesmente em “boas ações”. Isso porque o objetivo é inspirar as pessoas a manifestar o estado de Buda. Esse ponto precisa estar muito claro.
A MELHOR FORMA DE DEDICAÇÃO
Dedicar-se ao máximo para tornar real o desejo do Buda de conduzir cada pessoa à iluminação é realizar o Chakubuku — a melhor forma de dedicação.
RECONHECER A SI MESMO E O OUTRO COMO BUDA
Fazer Chakubuku é reconhecer a si mesmo como um buda, pois você tem o desejo e compartilha o caminho. Ao mesmo tempo, ao compartilhar o caminho, você reconhece a outra pessoa como um buda.
O QUE É DEDICAR-SE AO MÁXIMO?
Dedicar-se ao máximo é quando o desejo de fazer Chakubuku permeia o pensamento, as palavras e as ações.
A POSTURA DE UM LÍDER BUDISTA
“Um líder budista utiliza todas as três categorias de ações — físicas, verbais e mentais — para desenvolver e expandir amplamente a prática do Chakubuku” (Ibidem).
CONCLUSÃO
Prezar cada pessoa é fazer Chakubuku dedicando-se ao máximo à pessoa que está à sua frente.