"A grandiosa Revolução Humana de uma única pessoa irá um dia impulsionar a mudança total do destino de um país e além disso, será capaz de transformar o destino de toda a humanidade."

ѵıѵα! ! ! ! α sgı 80 αησs ѵıѵα ! ! ! α вsgı 50 αησs ∂є яєαłızαçõєs,αѵαηçσ є sυcєssσ
ѵıѵα!!! sєηsєy

sgi

Loading...

Postagens populares

sexta-feira, 27 de maio de 2011

MAT. REUNIÃO DE PALESTRA


Devotar a vida e não as folgas

MATÉRIA DA REUNIÃO DE PALESTRA DE MAIO

O exemplo está na nossa frente
O Nam-myoho-rengue-kyo inscrito no centro do Gohonzon, dá um exemplo claro do “Daimoku de Juramento” — tornar o Nam-myoho-rengue-kyo o centro da vida.
O estado de Buda na vida diária
Tornar o Nam-myoho-rengue-kyo o seu centro significa dedicar a vida ao Kossen-rufu. Todas as ações passam a ter a Lei Mística como referência e como fonte de inspiração. Na prática, é ter o Nam-myoho-rengue-kyo como centro da vida. A dedicação ao Kossen-rufu é manifestar o estado de Buda na vida diária. Manifestar o estado de Buda na família, no trabalho, com os amigos, nos estudos, na saúde. Para isso acontecer é preciso uma atitude básica no momento da oração.
Atitude básica
Esta atitude básica é sair de uma condição em que se espera a “salvação” e agir para “salvar” os outros. Ou seja, é deixar de ser a pessoa que é salva para tornar-se uma pessoa que salva. Sair do egoísmo e viver o altruísmo.
Por exemplo
Neste momento, você está enfrentando alguma dificuldade. Pode tentar resolvê-la utilizando uma visão limitada ou fazer da solução um motivo de vitória que inspire as demais pessoas ao redor. A questão está no “para quê” resolver o problema.
Em outras palavras
O primeiro presidente da Soka Gakkai, Tsunessaburo Makiguti, fez uma colocação muito sábia: “Seja uma pessoa indispensável”. Uma pessoa indispensável vence qualquer crise porque, em qualquer circunstância, ela nunca será descartada.
Seja indispensável
Ser indispensável é dedicar a própria vida em algum empreendimento valioso. Uma pessoa indispensável para o movimento do Kossen-rufu é aquela que dedica a vida em prol da Lei. Dedicar não é morrer ou sacrificar-se. É comprovar o Budismo como verdade na vida diária.
Dedico a minha vida ou as minhas folgas?
“Dedico a minha vida” é colocar a Lei como centro, conforme inscrito no Gohonzon. “Dedicar as minhas folgas” é colocar outras prioridades sempre à frente da Lei, deixando-a em último plano.
Dedicar as folgas
Quem se dedica “as folgas”, com o tempo, deixa de avançar e conquistar vitórias porque só vai se lembrar do Budismo, do mestre e do Kossen-rufu quando precisar. Essa pessoa só é praticante quando surgem grandes dificuldades. A iluminação está na constância, no ato de manter a prática e a postura, seja nos momentos de alegria ou de dificuldade. Ser um budista em tempo integral (não confunda com fanatismo) é se dedicar diariamente manifestando a força e a sabedoria do Budismo em todas as esferas da vida. Dedicar a vida é proteger, praticar e propagar a Lei Mística. Isso faz você se fundir ao supremo estado de vida do Buda. No escrito Carta de Sado é utilizado o exemplo da parábola “O garoto Montanha das Neves (ver p. B5).
Texto extraído e adaptado da seção Encantos da Filosofia Budista
Publicado em: Brasil Seikyo - Ed.2081 - Caderno BVD - Pg.B7 - 30/04/2011